sexta-feira, 8 de junho de 2012

AXtrail #2 Alvaiázere 29km (entardecer/nocturno)

Alvaiázere, 2 de Junho de 2012


Já desejava ter-me estreado nas provas do AXtrail à mais tempo, mas apenas este ano, nesta #2 série em Alvaiázere é que se reuniram as condições para que isso acontecesse.

E não fui sozinho, do Atletismo Clube de Portalegre fomos 7 atletas! Um grupo animado e alegre, onde a boa disposição reinou sempre! Só no regresso a casa, é que o sono falou mais alto e derrubou alguns que ainda resistiam após os 29km de trilhos pela serra de Alvaiázere, não foi?



Mal chegamos à arena do evento, fomos imediatamente levantar os dorsais e aproveitamos para relaxar um pouco, tirar umas fotos e lá nos fomos equipar...

Camelbag às costas, apito da loja dos chineses para qualquer eventualidade, um último teste ao frontal e está tudo a postos!


Estas provas ao fim do dia têm a desvantagem de o corpo estar mais cansado, mas por outro lado também já estamos mais despertos do que se fosse de manhã. Eu pessoalmente tinha descansado bem durante a noite anterior e sentia-me com vontade de correr... Ainda estava receoso para ver como reagiriam as pernas, visto que tinha andado a semana toda com umas dores nos gémeos...

Lá nos começamos a juntar na zona da partida. Na lista de inscritos estavam 349 atletas, o que me surpreendeu! Não estava a contar com tanta gente, mas também parece que nem todos compareceram...

A espera prolongou-se mais alguns minutos após as 20h programadas para a partida e começa a surgir aquele nervoso miudinho...

Após o briefing inicial, inicia-se a contagem decrescente e lá vamos nós!

Uns 300m ainda na pista, para aquecer e alongar o pelotão... Saímos do estádio e entrámos no alcatrão, em ligeira descida... Tentei começar com calma, parti da retaguarda do pelotão e fui aumentando a intensidade com desenrolar da prova... Mesmo assim ainda fiz o 1º km em 4:55, são as pressas...

Após passarmos o 1º troço de terra, entramos novamente no alcatrão, começamos a subir até que chegamos a uma escadaria que nos levaria a uma capela... Foram cerca de 100 degraus, que subi a caminhar, mas num bom ritmo, 2 degraus de cada vez...

Virámos à direita e seguimos por uns caminhos ainda largos, onde dava para correr sem grandes dificuldades... Foi nesta altura que me começaram a doer os gémeos... Exactamente a mesma dor que tive na Meia Maratona de Mérida e no Trail de Abrantes! É uma dor bastante incómoda que vai desde o tendão de Aquiles até meio da perna... É tipo cãibras, mas eu tenho quase a certeza que é alguma contractura que já vem desde à uns meses atrás e por vezes manifesta-se...

Imediatamente tive que abrandar o ritmo... Aproveitei algumas subidas para caminhar e trotar calmamente nos estradões que surgiram... Após o 4º km entrámos num trilho mais estreito e mais inclinado, que nos levaria ao ponto mais alto da prova...

Aqui já me sentia melhor, mas ainda não estava a 100%... Mas como o ritmo era lento, devido à progressão em fila indiana pelo trilho acima, deu para recuperar... Quando vi que as dores tinham passado fiquei mais descansado e comecei a aumentar o ritmo pela subida acima...

Subimos e subimos, evitando e ultrapassando diversos obstáculos como pedras grandes, outras mais pequenas, arbustos, etc... Até que chegamos a um trilho plano, a meia encosta em que apanho um atleta mais lento à minha frente... O senhor até não ia a andar muito mal, mas como o trilho era estreito e ele não ia com muito cuidado, ia sempre a resvalar com o pé direito... Já só estava a ver a altura em que ele se desequilibrava e eu tinha que o agarrar!

Mas lá chegámos a uma parte mais larga, em que saltei por cima de umas pedras, ultrapassei o grupo que ia à minha frente e ataquei a última subida que nos levaria ao topo... Os últimos metros foram mesmo a corta-mato, com as mãos no chão para ajudar a subir até ultrapassar a última barreira de pedras que nos mostrava o planalto...

Quer dizer, não mostrava muito, porque nesta altura já eram quase 21h, a noite já caía e tinha-se formado um nevoeiro no alto da serra que limitava a visibilidade a uns 80m/100m! No alto da serra também não havia um trilho definido... Olhei em frente, vi uma atleta 50m à minha frente e simplesmente segui-a... Até que apanhámos um carreiro estreito, em terra, que já nos permitiu correr melhor...

Olhei para a minha direita e consegui ver que ali a uns 5 ou 10m estava um precipício! Era aquele corte na serra que se via lá de baixo do estádio... O que vale é que estava nevoeiro e eu não lhe conseguia ver o fim, por isso não me assustei muito... hehe

Continuei na "perseguição" à atleta que seguia à minha frente e entrámos numa descida... A descida era inclinada e tinha algumas pedras, mas com algum cuidado dava para correr bem... Alarguei a passada, baixei o centro de gravidade e deixei-me ir por ali abaixo... No final da descida estava o 1º abastecimento... Praticamente não parei, apenas agarrei nuns pedaços de marmelada e arranquei...

Deixo a atleta que tinha seguido na descida e mal saio do abastecimento vejo a Susana Simões à minha frente... Pensei "Para a Susana estar aqui, das duas uma... Ou eu estou muito à frente (o que não era o caso, porque tinha começado de trás para a frente), ou então ela está um pouco atrás e está a ganhar posições"

Liguei o frontal que já estava a fazer falta e segui no encalço da Susana... Incrível a capacidade desta grande atleta! Sentia-me honrado por estar a partilhar o mesmo trilho que ela ali a uns 2 ou 3m de distância... Uma atleta que tinha finalizado a Marathon des Sables à menos de 2 meses atrás na 51ª posição da geral e 6ª feminina!

Lembro-me de ter lido uma entrevista do Telmo e da Susana após a MDS em que eles diziam que um ponto importante era evitar ao máximo caminhar... E a Susana ali à minha frente em Alvaiázere ia a fazer mesmo isso... Aquela mulher praticamente nunca caminhou nos km (a subir) que fiz com ela!

Tentei sempre seguir junto da Susana... Quando ela ultrapassava alguém eu seguia atrás... Isto sempre a subir, em trilhos bastante técnicos, com bastantes obstáculos, tanto ao nível dos pés como da cabeça... E os olhos ainda a adaptarem-se ao escuro e à luz dos frontais...

E eis que chegamos ao final da subida, entramos num caminho mais largo e a Susana parece que ganhou asas... Bem tentei segui-la na descida, mas não tive mesmo pernas... E nunca mais a vi até ao final da prova!

Alcancei outro grupo que seguia à minha frente e continuamos a descer, apanhámos um pequeno troço de alcatrão e entramos novamente na terra...

Segui na retaguarda deste grupo uns 2km... Gostei especialmente deste troço também... Era um trilho que me parecia plano, mas era ligeiramente a descer, com bastantes obstáculos ao nível do chão... Bastantes pedras... Umas evitavam-se passando ao lado, mas outras tínhamos mesmo que saltar por cima... Pequenos muros para atravessarmos e também buracos e raízes no chão... Uma autêntica prova de obstáculos, que adorei! Gosto particularmente de trilhos técnicos deste género, porque eu pessoalmente parece que nem me canso... Vou ali a saltar, a pular, aos ziguezagues... Só me faz lembrar os tempos de criança, em que brincávamos a "todo o gás" e nunca nos cansávamos...

Finalizado este trilho, passamos numa pequena povoação, fizemos umas centenas de metros em alcatrão e iniciámos a subida que nos iria levar ao 2º abastecimento, que por acaso era no mesmo local do 1º (só depois de ver o percurso no computador é que reparei)...

O trilho, que subia a direito pela encosta acima, também não era de progressão muito fácil... Mas eu, alternando a caminhada rápida com pequenas acelerações a correr, fui ultrapassando o grupo que seguia à minha frente, chegando ao abastecimento na frente do grupo...

Aqui tive que perder mais algum tempo que da 1ª vez... Bebi dois copos de sumo, comi uns pedaços de marmelada, bebi mais um copo de água, agarrei numa mão cheia de batatas fritas e arranquei...

A partir daqui tivemos uns 3km a descer, num estradão largo... Eu a pensar que ia a descer bem, quase sempre abaixo dos 5'/km, mas fui ultrapassado por uma meia dúzia de atletas... Mas rapidamente percebi a razão da minha lentidão... Após o abastecimento fiquei com o estômago cheio e ia ali um bocado desconfortável a descer...

Finalizado o estradão, passei noutra pequena povoação e desci mais um bocadinho, numa encosta, onde podia ver os atletas que seguiam à minha frente, do outro lado do vale, devido às luzes dos frontais...

Iniciei nova subida, curta mas algo inclinada, que foi feita a caminhar em bom ritmo... Finalizada a subida entrámos numa estrada de alcatrão, a descer, que nos levava ao 3º e último abastecimento...

Neste abastecimento também não perdi muito tempo, comi umas marmeladas, bebi um copo de sumo e continuei...

Virei à direita e imediatamente entrei num trilho bastante técnico, provavelmente a parte mais complicada do percurso... Quer dizer, não era bem um trilho... Era aparentemente o leito de um rio que se encontrava seco... Quem fez a prova com certeza se lembra desta parte e nunca mais se há-de esquecer... Uns porque não gostaram, outros porque adoraram...

Eu fui dos que adorei! Era só seguir o leito do rio, a "vala" onde estávamos encaixados e subir por ali acima... Sim, porque era a subir! Ainda tivemos que fazer uns bocados de escalada, agarrados a cordas para ajudar a subir... Claro que era preciso ter cuidado, mas quem fosse com muito medo nunca mais saía dali.... Eu fui saltando de pedra em pedra e quando aparecia um bocadinho de terra aproveitava para dar um sprint... Por acaso tive sorte e nunca caí nem me magoei, mas por várias vezes tive aquela sensação de desequilíbrio... Ou porque colocava mal o pé, ou então a rocha onde colocava o pé não estava fixa e tinha imediatamente que colocar o outro pé à frente para me equilibrar e não cair... Um espectáculo!

Finalizada esta parte do rio ainda apanhámos umas subidinhas, mas já só cheirava a meta! Aqui já sabia que chegava ao fim, aproveitei para "abusar" mais um bocado...

Passámos às escadas que subimos no início e o Garmin marcava quase 27km e eu sabia que no início, até às escadas tínhamos feito mais de 2km... Por isso comecei logo a preparar-me mentalmente para fazer mais 1 km além dos 28 previstos...

O caminho agora era o mesmo que na parte inicial e comecei a acelerar... Já ouvia alguém a falar ao microfone no estádio... Ia a dar tudo o que tinha...

Aproximo-me do estádio e faltava uma última subidinha para entrar na pista... Vejo o Nuno Silva (vencedor da prova), já com o banho tomado e de fato de treino, que me dá um incentivo para as últimas centenas de metros...

Entro na pista, mantenho o ritmo, faço a curva ali junto à corda, parecia que ia numa prova de 1500m... hehe

Entro na recta da meta, peito para fora, braços no ar e está feita!

Dou uns passos a caminhar para recuperar e chego-me à mesa do abastecimento para beber qualquer coisa... Não vejo a Carla, ligo-lhe e ela ainda estava na caminhada, ainda consegui chegar primeiro que ela... Mas é de realçar que fizeram 16km, com alguns troços a correr e tudo...

Vejo a Susana Simões e dou-lhe os parabéns pela prova e pela vitória... Grande andamento que aquela mulher tem!

Fui alongando enquanto esperava pelos restantes ACP's que alguns minutos depois terminaram as suas provas... Uns em melhores condições que outros, mas todos chegaram ao fim!

Terminei em 45º de 192 atletas chegados à meta e 32º de 119 nos Seniores Masculinos.

O vencedor, como já referi, foi o Nuno Silva, com um tempo canhão na casa das 2h30min - Respect!

Resultados

Alguns dados da minha prova:

Distância: 28,93km

Tempo: 3h15m20s

Ganho de elevação: 903m

Cadência média: 6:45min/km
Fiquei bastante satisfeito com a minha prestação! Tirando aquela situação nos gémeos ali durante uns minutos, senti-me sempre bem, a 100%! Abusei um bocado em algumas partes, mas consegui sempre ter percepção do meu limite e nunca o ultrapassar...

Em relação à organização, nada a apontar... Marcações q.b., era impossível haver enganos, abastecimentos adequados, arena do evento com tudo o que era necessário, banho quentinho... que mais um homem pode pedir?

Se não for já na #3 série UTAX (82km com D+ 5000m) no final do ano, conto regressar às provas do AXtrail em 2013!

Sem comentários:

Publicar um comentário